Proposta de projeto de edifício vertical

No nosso curso de arquitetura são 4 anos de aulas praticas de projeto, onde aprendemos metodologias de projeto, criar um repertório, conceitos, técnicas… Enfim, projetar.

Durante o primeiro semestre trabalhamos em uma proposta de “Flats Universitários” em um edifício vertical. O tema e o local nos foram apresentados e a partir dai começamos os estudos para criar a proposta.

Apresentamos a nossa proposta final para o edifício vertical de flats universitários  

  

O nosso conceito:

Pensando especialmente nos jovens universitários que saem de suas casas e suas cidades para estudar e passam dias longe de suas famílias, nos inspiramos no termo “Hygge” que vem da Dinamarca e se refere a algo acolhedor, aconchegante, é como “se sentir em casa”. Os dinamarqueses levam tão a sério esse termo que para eles Hygge é como um estilo de vida, buscar aproveitar as coisas simples, totalmente relacionado aos sentidos, como ouvir uma boa musica, tomar um café e apreciar o por do sol, eles se preocupam menos com os bens materiais e mais em viver bem.

Nosso projeto tem como prioridade proporcionar a sensação de conforto e acolhimento, para que esses jovens possam se sentir em casa, promovendo o convívio entre eles e o estabelecimento de novas relações sociais, criando laços que os faça sentir dentro de uma nova família, um ajudando ao outro.

Com a intenção de incentivar o convívio entre os moradores partimos de uma abertura que corta todo o “miolo” do prédio, possibilitando visibilidade de todos os pavimentos tipo até o térreo, essa abertura é aproveitada como local de encontro e permanência, sendo um lugar agradável de estar e estudo em grupo, com iluminação natural, tendo uma visão para o jardim interno do térreo.

Outra forma de integração e convívio é o terraço jardim que comporta espaço de churrasqueira e jogos, a parte aberta é trabalhada com paisagismo, bancos e redes para descanso, extensa área gramada com o proposito de aguçar os sentidos de tato e olfato, podendo os moradores andar descalço e lembrar-se da infância, possui também uma área com deque para sentar e observar o por do sol.

Quem olha por fora pode perceber um edifício contemporâneo e jovem proporcionado pelas escolhas de cores como o preto nas marquises e cinza dos blocos de concreto aparente e os vidros espelhados que refletem o azul do céu, os painéis ripados de madeira conferem o aspecto de aconchego e os verdes das vegetações dão um toque de vida ao projeto.

 

Proposta autoral de Nathalye Lima e Samara Varolo renderizado por Daniel Felipe.

Postado por Samara Varolo

Sou estudante do quarto ano de arquitetura e urbanismo; adoro interiores, gosto de ambientes aconchegantes e que refletem a personalidade do dono; acredito que a arquitetura é uma forma de expressar sentimentos e causar emoções, é mais do que técnica, é arte; amo viajar e ver de perto a historia da arquitetura.


Facebook Instagram

Comentários